Destaque

Projeto “100 anos da Pedra Fundamental: Patrimônio e Memória”

APLAC traz a lume o projeto “100 anos da Pedra Fundamental: Patrimônio e Memória”

por Tamara Naiz, Vice-Presidente da APLAC

O projeto “100 anos da Pedra Fundamental: Patrimônio e Memória”, de autoria de Tamara Naiz, propõe realizar, nos marcos das comemorações dos 100 anos da Pedra Fundamental de Brasília, um projeto de educação patrimonial em rede, que organizará um percurso sobre a memória e o patrimônio cultural de Planaltina/DF.

Com financiamento do Fundo de Apoio a Cultura do Distrito Federal (FAC/DF), o projeto possui uma abordagem multicultural e transversal, mas abrange principalmente as áreas criativas do Patrimônio Cultural e da Fotografia. As atividades do projeto serão inteiramente gratuitas e contarão com medidas de acessibilidade.

Entre as ações previstas estão: Organizar 02 Circuitos museológicos com visitas guiadas; 01 Oficina para capacitação de agentes culturais guias; 01 Exposição fotográfica presencial e 01 Exposição fotográfica virtual, ambas com 100 fotos e documentos da História de Planaltina e da Pedra Fundamental.

Ações:

Dentre as ações acima listadas, estão a montagem de:

  • 02 circuitos museológicos: sendo um tradicional (Museu Histórico e Artístico de Planaltina) e um da nova museologia (Ecomuseu Pedra Fundamental);
  • 02 exposições com 100 fotos documentos da história e memória da Pedra Fundamental de Brasília e de Planaltina, sendo uma presencial, no Museu Histórico e Artístico de Planaltina; e outra virtual, pela internet, com todas as ferramentas de acessibilidade remota garantidas.
  • 10 Visitas guiadas aos circuitos museológicos para 800 estudantes da rede pública da cidade;
  • 01 oficina de capacitação de agentes culturais como guias do patrimônio da cidade com 15 vagas, sendo 2 delas para Pessoas Com Deficiência (PCD);
  • Ofertar 05 bolsas incentivo para agentes culturais guias em patrimônio, que tenham feito a oficina de capacitação e tenham sido certificados pelo projeto. Destas bolsas, ao menos uma deverá ser reservada para PCD. Esses guias atuarão conduzindo os estudantes nos circuitos museológicos;
  • 01 encontro entre artistas, pesquisadores e agentes culturais da cidade, com 100 pessoas.

Nos marcos da agenda 2030:

O projeto pretende contribuir para “Fortalecer esforços a fim de proteger e salvaguardar o patrimônio cultural e natural do mundo”, meta 11.4 dos ODS, isso será feito por meio do fortalecimento de uma cultura pela educação patrimonial em Planaltina/ DF, buscando levar as crianças e adultos a um processo ativo de conhecimento, apropriação e valorização de sua herança cultural, capacitando-os para um melhor usufruto desses bens, e propiciando a geração e a produção de novos conhecimentos, num processo contínuo de criação cultural.

A educação patrimonial, conforme estabelecido pelo IPHAN, é um processo sistemático de trabalho educacional centrado no Patrimônio Cultural como fonte primária de conhecimento e enriquecimento individual e coletivo.

O conhecimento crítico e a apropriação consciente pelas comunidades do seu Patrimônio são fatores indispensáveis no processo de preservação sustentável desses bens, assim como no fortalecimento dos sentimentos de identidade e cidadania.

Conforme evidencia o “Guia básico para educação patrimonial”, do IPHAN, a Educação Patrimonial é um instrumento de “alfabetização cultural” que possibilita ao indivíduo fazer a leitura do mundo que o rodeia, levando-o à compreensão do universo sociocultural e da trajetória histórico-temporal em que está inserido. Este processo leva ao reforço da auto-estima dos indivíduos e comunidades e à valorização da cultura brasileira, compreendida como múltipla e plural.

As ações de montagem de exposições, visitas guiadas a dois circuitos museológicos, a ação de formação de agentes culturais como guias, além do encontro entre artistas, pesquisadores e agentes culturais da cidade, fazem parte dessa rede. A trama social produzida por este projeto é altamente diversa e vem da própria efervescência cultural dessa comunidade centenária, periférica e potente.

À frente dessa rede estão a Academia Planaltinense de Artes, Letras e Ciências (APLAC); o Ecomuseu Pedra Fundamental e o Coletivo Nativo, três organizações que têm atuado fortemente pela cultura planaltinense.

Nosso território, Planaltina/DF, é uma cidade histórica, rica e diversa culturalmente, com elementos das mais distintas linguagens artísticas e culturais, sobretudo nos fazeres ligados às culturas populares e manifestações religiosas, tendo eventos de grande projeção que atraem pessoas de todo DF, como a encenação da Via Sacra, a Festa do Divino, a Folia de Reis, a comunidade do Vale do Amanhecer, além de povos ciganos e das dezenas de terreiros de matriz africana e indígena. Essa riqueza histórica e cultural, é, inclusive, atestada pelo IPHAN. Destacando a importância deste local e povo, existentes antes mesmo do projeto modernista de transferência da capital para esta região.

O ano de 2022 traz pro calendário da cidade importantes marcos temporais que a recolocam no centro de datas comemorativas nacionais. Quais sejam: os 100 anos da Pedra Fundamental de Brasília e os 130 anos da Missão Cruls.

As ações culturais e educativas desenvolvidas pelas entidades organizadoras no âmbito deste projeto pretendem contribuir para a sensibilização da comunidade quanto à preservação de seu patrimônio e de sua memória através da adoção de posturas preservacionistas, tendo em vista que um dos principais fatores de dano ao patrimônio histórico e cultural é sua desqualificação como fonte de referência para a identidade local, na maioria das vezes derivada do desconhecimento de sua importância e consolidada pela entrada de culturas estranhas. Nessa perspectiva, a educação patrimonial é vista como processo de apreensão de conhecimentos através da reflexão constante, do pensamento crítico, criativo e da ação transformadora do sujeito, constituindo-se uma atividade condicionada histórica e socialmente.

Esse processo educativo será centrado no patrimônio cultural local e voltado a estudantes de escolas públicas, mas aberto à comunidade em geral, com a intenção de contribuir para que esse público possa adquirir valores e comportamentos que permitam o reconhecimento, a valorização e a preservação desse patrimônio. Isso se torna relevante pois, a preservação do patrimônio cultural passa necessariamente pelo reconhecimento do patrimônio como referencial para a identidade da comunidade e dos seus indivíduos no tempo presente e nesse território.

Acreditamos que a realização do projeto “100 anos da Pedra Fundamental: Patrimônio e Memória” contribuirá, entre outras coisas, para o fortalecimento da cultura pela educação patrimonial em Planaltina e no DF. Tal projeto também irá contribuir na difusão do patrimônio, da cultura e do turismo desta cidade histórica entre os moradores locais e de todo o DF. As condições para isso são favoráveis: a ocorrência dos marcos comemorativos do centenário da Pedra Fundamental de Brasília; dos 130 anos da Missão Cruls e dos 163 anos de Planaltina.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Fechar